Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

sexta-feira, 29 de março de 2019

Assembleia Geral Ordinária CEJG


Aconteceu  no dia 24/03/2019, às 17h30 em primeira convocação, a Assembleia Geral Ordinária do Centro Espírita Joseph Gleber.
Na ocasião, foram apresentados: o relatório das atividades da Diretoria em 2018, bem como o balanço contábil do mesmo ano.
Também foi apreciado o Programa Anual de Atividades para 2019.

Curso de Expositor Espírita


    Foi realizado, nos dias 23 e 24/03/2019, em Teófilo Otoni-MG, o Curso de Formação de Expositores Espíritas. A capacitação foi promovida pela Área de Comunicação Social Espírita (ACSE) da União Espírita Mineira (UEM) e COFEMG - Conselho Federativo Espírita de Minas Gerais.
       O curso foi ministrado pelo Conselheiro da UEM e ex-Coordenador da ACSE, Álvaro de Castro, e reuniu muitos irmãos interessados nas técnicas de exposição de conteúdo espírita ao público.

Palestras CEJG - Abril/2019


Aniversário de Chico Xavier


Francisco Cândido Xavier, mais conhecido como Chico Xavier, filho de João Cândido Xavier e Maria João de Deus, nasceu no dia 02 de abril de 1910, na modesta cidade de Pedro Leopoldo, no estado de Minas Gerais, em uma família humilde com nove irmãos.
Uma das personalidades mais lembradas e admiradas no país foi considerado o maior e mais importante médium do mundo. Psicografou mais de 450 livros com mais de 50 milhões de exemplares vendidos em português, com traduções em inglês, espanhol, japonês, esperanto, francês, alemão, italiano, entre outros idiomas, tornando-se o escritor brasileiro de maior sucesso comercial da história.
Mediunidade de Chico Xavier
Segundo biógrafos, a mediunidade de Chico teria se manifestado em tenra idade, quando ele dizia ver e ouvir os espíritos. Na escola, sentia a presença desses amigos auxiliando-o nas tarefas habituais, embora receoso de ser rotulado de louco por conversar com os espíritos desencarnados, não sabia explicar como os fenômenos aconteciam.
Em 07 de maio de 1927, aos 17 anos, participou de sua primeira reunião espírita, no entanto, foi no dia 08 de julho do mesmo ano que iniciou o seu trabalho de psicografias, recebendo muitas poesias e mensagens publicadas em jornais e revistas até 1931, ano do seu encontro com o espírito Emmanuel, que deu-lhe algumas orientações básicas para o trabalho que deveria iniciar.
A mudança para Uberaba foi em 05 de janeiro de 1959, data que iniciaram as atividades mediúnicas em reunião pública na Comunhão Espírita Cristã, começando daí em diante a peregrinação das visitas de alguns lares carentes aos sábados, transformando a cidade em um polo de atração de inúmeros visitantes das mais variadas regiões do Brasil, e até mesmo do exterior.
O primeiro livro “Parnaso de Além Túmulo”, publicado pela FEB, fora lançado no ano de 1932, com a participação de vários espíritos e, em 1943, veio a público um dos livros mais populares da literatura espírita, o romance Nosso Lar, o mais vendido da série André Luiz com mais de 02 milhões de exemplares, tornando-se filme em 2010.
Maior audiência da história
Em 1970, o médium participou de programas de televisão que alcançaram picos de audiência. Em entrevista ao vivo no dia 28 de julho de 1971, cedida ao programa Pinga Fogo da extinta TV Tupi, conseguiu a maior audiência da história da TV brasileira, ao relatar de forma clara e segura as verdades do mundo espiritual.
Desencarne
Francisco Cândido Xavier retornou a pátria espiritual no dia 30 de junho do ano de 2002 aos 92 anos de idade, em decorrência de parada cardiorrespiratória. Segundo relatos de amigos e parentes próximos, Chico dizia que iria desencarnar em um dia em que os brasileiros estivessem muito felizes, data esta da conquista do Pentacampeonato da Seleção Brasileira.
Os centros espíritas fundados por Chico Xavier, “Casa da Prece” e “Comunhão Espírita Cristã” em Uberaba e “Centro Espírita Luíz Gonzaga” em Pedro Leopoldo, continuam funcionando e realizando muitas assistências de caridade.

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. Chico Xavier

Fonte: radioboanova.com.br

150 anos da desencarnação de Allan Kardec


No 31 de março transcorrem 150 anos da desencarnação do Codificador. O fato ocorreu em Paris, no ano de 1869, entre 11 e 12 horas, quando Kardec contava 64 anos de idade e estava trabalhando no escritório da Passage de Sainte-Anne. Houve repentinamente o rompimento de um aneurisma, sendo chamado seu amigo Alexandre Delanne para um socorro, que foi infrutífero. Alexandre morava num apartamento em outra parte dessa mesma Passage.
O sepultamento de Kardec foi feito no Cemitério de Montmartre. Apenas um ano depois seu corpo foi transladado para o Cemitério Père Lachaise, onde foi construído o dólmen com a famosa frase “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar tal é a Lei”. O túmulo de Kardec, nesse cemitério histórico de Paris, continua a ser dos mais visitados.
A efeméride é lembrada em vários locais e, tradicionalmente, em Paris. A Fédération Spirite Française realiza no dia 30 de março deste ano a comemoração do aniversário da desencarnação de Allan Kardec, a “Journée Allan Kardec”, no Cemitério Père Lachaise, junto ao dolmen; e em auditório, conferência sobre o tema “150 anos da desencarnação de Allan Kardec”.
Passado um século e meio, devemos analisar o impacto e a expansão do Espiritismo.
Com foco em nosso país, nota-se que uma grande quantidade de centros espíritas, perto de 15 mil. Embora a quantidade de espíritas declarados nos censos do IBGE seja relativamente pequena, em torno de quatro milhões, estima-se que o número de simpatizantes das ideias espíritas alcance dez mais a quantidade de espíritas declarados. A quantidade de obras de Kardec publicadas por dezenas de editoras em nosso país é vastíssima, chegando a ser o autor francês mais lido no Brasil. Logo mais, no mês de maio será lançado nas telas de cinema o filme “Kardec”.
Entre muitos fatos, merece destaque que há meio século, o espírito Emmanuel homenageou as obras da Codificação, elaborando pela psicografia de Chico Xavier, os livros: Religião dos espíritos, Seara dos médiuns, Livro da esperança, Justiça divina. Muito embora inúmeros livros de Chico Xavier se refiram às obras de Kardec. Há poucos dias, transcorreram 40 anos da desencarnação de Herculano Pires, o jornalista e filósofo paulista, e que Emmanuel se referiu a ele como “o metro que melhor mediu Kardec”.
Em nossos dias, face às muitas “novidades”, “modismos” e “personalismos”, se faz muito necessária a valorização e o estímulo ao estudo e difusão das Obras Básicas. Daí a importante "Campanha Comece pelo Começo", idealizada por Merhy Seba, patrocinada pela USE-SP em meados dos anos 1970 e aprovada pelo CFN da FEB em novembro de 2014.
Um fato interessante é que apenas tanto tempo após a desencarnação de Kardec é que, nos últimos anos, estão sendo valorizados documentos, periódicos e livros franceses, quase desconhecidos no Brasil, e que apontam para o esclarecimento de episódios que ficaram ocultados ou obscurecidos sobre a vida de Kardec e sua esposa e, especificamente sobre a divulgação de suas obras imediatamente após sua desencarnação. Recentemente têm vindo à tona pesquisas inéditas sobre obras de Kardec e fatos do movimento espírita francês. Em nosso país, justamente próximo ao Sesquicentenário da desencarnação do Codificador eclodiu o início da divulgação de manuscritos de sua autoria e de documentos, o chamado Projeto “Cartas de Kardec”, riquíssimo acervo que estava em poder da família de Silvino Canuto Abreu e que foram doados à Fundação Espírita André Luiz, de São Paulo.


150 anos após a desencarnação de Kardec, a maior homenagem a ser prestada ao valoroso espírito será sempre o estudo, a divulgação e prática do Espiritismo de conformidade com suas Obras Básicas.


Antônio Cesar Perri de Carvalho -  Ex-presidente da USE-SP, da FEB; e ex-membro da Comissão Executiva do CEI
Fonte: grupochicoxavier.com,br

sexta-feira, 22 de março de 2019

Cinema: Kardec - A história por trás do nome

   Divulgado o primeiro trailer oficial do filme cuja estreia está marcada para 16/05/2019.
   O longa-metragem é baseado no livro: Kardec - A biografia de Marcel Souto Maior, dirigido por Wagner de Assis ("Nosso Lar" e "A menina índigo") e estrelado por Leonardo Medeiros, como Hyppolite Léon Denizard Rivail (Allan Kardec).



quarta-feira, 13 de março de 2019

Assembleia Geral Ordinária CEJG

Convocação aos associados do Centro Espírita Joseph Gleber para a Assembleia Geral Ordinária a realizar-se no dia 24/03/2019 às 17h30. 
A presença de todos é de fundamental importância!
Muita luz!