Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

sábado, 28 de março de 2020

Comunicado Oficial - AMEMG e UEM



No contexto atual da pandemia de Coronavírus que atinge o nosso país, consideramos importante um novo comunicado ao meio espírita mineiro após o recente pronunciamento oficial do governo federal e a inclusão das atividades religiosas na lista de serviços essenciais neste período de crise.
Considerando a advertência do codificador Allan Kardec quanto à importância da ciência enquanto meio que nos "revela as leis do mundo material" e de que "fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade";
Considerando o conhecimento científico acerca dos determinantes sociais de saúde, que elucidam o papel importante dos fatores socioeconômicos na vida da população;
Considerando a capacidade instalada limitada neste momento para que o Brasil realize testes diagnósticos para COVID-19 na quantidade ideal;
Considerando as evidências científicas que apontam para as medidas restritivas de circulação de pessoas como estratégia comprovadamente eficaz para reduzir a disseminação do Coronavírus e minimizar os impactos que o crescimento acentuado de pessoas infectadas poderia trazer ao sistema de saúde;
Considerando os informes da Associação Médico-Espirita do Brasil (AME-Brasil) - dos dias 13 e 27 de março de 2020 - e os posicionamentos do movimento federativo espírita a partir das diretrizes da Federação Espírita Brasileira (FEB);

Considerando os posicionamentos dos órgãos oficiais de saúde nos diferentes países do mundo, da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Conselho Federal de Medicina, das Sociedades Médicas brasileiras, bem como do Ministério da Saúde, que orientam prioritariamente que a população evite aglomerações;
Considerando a impossibilidade de manter as atividades habituais presenciais nas casas espíritas sem que haja, em algum momento, aglomeração de pessoas;
Entendemos ser adequado manter a interrupção das atividades presenciais nas instituições espíritas, com manutenção das atividades na modalidade "à distância".
Reforçamos a necessidade da união de todos os corações num propósito comum de fraternidade e solidariedade. Recordamos a importância dos hábitos de prece e leituras edificantes, a fim de que este momento de turbulência seja enfrentado por meio dos recursos pessoais de resiliência, com auxílio da fé, da esperança e da caridade. Sigamos na certeza de que Jesus continua na direção do destino de toda a população do nosso planeta e, consequentemente, do nosso querido país.



Eric Vinícius Ávila Pires                          Alisson Pontes de Souza
  Presidente AMEMG                                    Presidente UEM

Posicionamento da AME Brasil perante a evolução da pandemia pelo novo coronavírus





NOTA OFICIAL – Posicionamento perante a evolução da pandemia pelo novo coronavírus
27 de março de 2020
A Associação Médico-Espírita do Brasil (AME-Brasil) vem, através desta nota, se posicionar perante a evolução da pandemia pelo novo coronavírus (SARS-cov-2) no Brasil.
Reiteramos as orientações já emitidas no documento prévio, quanto às medidas e cuidados a serem tomados com o objetivo de controlar a disseminação do vírus no país. Permanecemos apoiando os órgãos técnicos tais como Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde do Brasil e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) em suas recomendações no enfrentamento da pandemia.
Até o presente momento, duas estratégias de controle da disseminação do vírus foram identificadas no âmbito coletivo. Uma delas é testar toda a população e promover o isolamento social apenas dos casos positivos, tal como experimentado na Coréia do Sul. Deve-se considerar que para esta estratégia é necessário uso do teste molecular, por Protein Chain Reaction (PCR), utilizado para detecção viral em espécimes respiratórios. Os testes rápidos não permitem a execução desta medida, pois sua positividade é tardia. A outra estratégia é promover o isolamento social para a população geral, reduzindo consecutivamente a transmissão, e testar apenas as pessoas com sintomas respiratórios. Essa medida foi adotada em países como China e Japão e também evidenciaram elevada capacidade de controle da pandemia.
Na atual condição que nos encontramos no Brasil, sem possibilidade de testagem em massa da população, as medidas de isolamento social se mostram como opção estratégica. Sem dúvida, esta intervenção acarreta diversos danos colaterais, com prejuízos na economia e nos recursos financeiros para muitas pessoas. No entanto, até o presente momento, esta é a única medida factível para o país. Ainda não se tem definido o tempo para se manter o isolamento social. A avaliação contínua é necessária para se encontrar um equilíbrio entre os benefícios e prejuízos que esta estratégia oferece.
Ressaltamos a necessidade de revisar essas medidas ao longo dos dias, podendo haver mudanças a partir de novos avanços que ciência médica vem alcançando sobre SARS-cov-2.
Gostaríamos de reforçar que as estratégias de contenção não garantem que a pandemia ocorra em determinada localidade, mas desacelera seu processo de entrada, causando uma incidência mais gradual e permitindo que os serviços de saúde garantam o atendimento médico. Por isso, este esforço torna-se necessário.
Também é de grande importância relembrar que este tipo de fenômeno é ferramenta para acelerar o progresso da humanidade, que neste momento encontra-se em processo de transição. Estamos passando por uma experiência nova, na qual ainda temos muito que aprender. Que possamos vibrar positivamente, mantendo a fé e a esperança e aproveitar a oportunidade para desenvolver em nós inteligência, paciência, resignação, abnegação e o amor ao próximo. 

Diretoria da AME-Brasil
Dr. Gilson Luis Roberto – Médico homeopata e presidente da AME-Brasil.
Dr. Vicente Pessoa Jr – Médico infectologista e vice-presidente da AME Goiânia (GO).
Dr. Ricardo de Souza Cavalcante – Médico infectologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP e presidente da AME Botucatu (SP).


Alteração temporária da Campanha Conduta Espírita da UEM



A UEM/COFEMG vêm a público para informar a suspensão temporária da campanha "Conduta Espírita - Atitudes Cristãs", tendo em vista que seu objetivo é "divulgar e incentivar ações de conduta e boas práticas nas Casas Espíritas" e, neste instante de distanciamento social em função da pandemia do COVID-19, também foi recomendado o fechamento temporário delas.

Sendo assim, para que a divulgação de ações de boa conduta não se paralisem totalmente, resolveu-se criar uma campanha paralela até o retorno das atividades presenciais, mostrando aos frequentadores e trabalhadores da Casa Espírita sobre como proceder em domicílio e nos meios virtuais durante este período.

"Conduta Espírita - Atitudes Cristãs (em casa)" começa hoje, com postagens diárias, de segunda a sexta-feira, divulgando trechos do livro 'Conduta Espírita', e reafirmando o posicionamento da Federação Espírita Brasileira (FEB), que divulgou uma nota dizendo que "o movimento espírita continua atendendo às necessidades de esclarecimento, consolo e iluminação das pessoas, neste momento em que precisamos tanto de otimismo, de esperança e de mais caridade."
  
Convidamos a todos a participarem conosco. Sigam as nossas redes sociais e acompanhem as postagens!

Fonte: www.uemmg.org.br

Atividades infantis pela FEB




Pensando nas famílias e evangelizadores espíritas, a FEB disponibiliza material interessante para crianças em seu site. É a Turma da Paz, com downloads gratuitos que podem ser úteis para leitura, aprendizado e diversão com as crianças. 

Veja alguns dos materiais disponíveis:

- atividades e jogos impressos
- folheto "Conheça o Espiritismo para Crianças"
- Vídeos da Turma da Paz
- Livreto "União e Unificação com a Turma da Paz"
- Porta retratos
- Jogo da Memória
- Cartões Postais
- Aplicativo com atividades para Android

Para acessar e fazer o download, CLIQUE AQUI.

Veja também dicas da FEB para atividades em casa com as crianças. CLIQUE AQUI.

Fonte: uemmg.org.br


Espiritismo em casa



Devido à crise instaurada atualmente com o Covid-19 (Novo Coronavírus), e para o bem comum, as casas espíritas interrompem suas atividades para evitar a rápida contaminação entre seus frequentadores. Para enfrentar essa situação é importante o distanciamento social, buscando resguardar os companheiros que correm um risco maior ao serem contagiados com a doença.
O exercício espiritual, contudo, não deve cessar nunca. Pensando nisso, foi desenvolvido um projeto com a união de amigos de um grupo musical de MG, o Verbos de Versos. Visando promover pequenas apresentações ao vivo durante todas as noites pelo Instagram, a iniciativa foi intitulada "Espiritismo em Casa". O programa fez vários convites para outros artistas, e como a maioria das pessoas estão em casa, o projeto cresceu e hoje já se espalhou para diversos estados do país.
Contando com artistas de todo o Brasil e mais de 8.000 seguidores em menos de uma semana, a campanha também criou mini-palestras diárias de 30 minutos, a pedido do público. De acordo com a programação, as palestras estão marcadas para as 18h30 e as apresentações artísticas começam as 20h00.
O “Espiritismo em Casa” tornou-se uma grande confraternização do movimento espírita nacional por meio da arte. Acompanhe AQUI.

Instagram: @espiritismoemcasa

Fonte: www.uemmg.org.br

Perante a enfermidade

Sustentar inalteráveis a fé e a confiança, sem temor, queixa ou revolta, sempre que enfermidades conhecidas ou inesperadas lhe visitem o corpo ou lhe assediem o lar.
Cada prova tem uma razão de ser.
Com o necessário discernimento, abster-se do uso exagerado de medicamentos capazes de intoxicar a vida orgânica.
Para o serviço da cura, todo medicamento exige dosagem.
Desfazer ideias de temor ante as moléstias contagiosas ou mutilantes, usando a disciplina mental e os recursos da prece.
A força poderosa do pensamento tanto elabora quanto extingue muitos distúrbios orgânicos e psíquicos.
Sabendo que todo sofrimento orgânico é uma prova espiritual, dentro das leis cármicas, jamais recear a dor, mas aceitá-la e compreendê-la com desassombro e conformação.
A intensidade do sofrimento varia segundo a confiança na Lei Divina.
Aceitar o auxílio dos missionários e obreiros da medicina terrena, não exigindo proteção e responsabilidade exclusivas dos médicos desencarnados.
A Eterna Sabedoria tudo dispõe em nosso proveito.
Afirmar-se mentalmente em segurança, acima das enfermidades insidiosas que lhe possam assaltar o organismo, repelindo os pensamentos e as palavras de desespero ou cansaço, na fortaleza de sua fé.
A doença pertinaz leva à purificação mais profunda.
Aproveitar a moléstia como período de lições, sobretudo como tempo de aplicação dos valores alusivos à convicção religiosa. 
A enfermidade pode ser considerada por termômetro da fé.
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” — Jesus. (Mateus, 11:28).

     André Luiz / Chico Xavier - Livro: Conduta Espírita

Hoje, onde estivermos

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus Nosso Senhor.” Paulo (Romanos, 6:23)

Para os que permanecem na carne, a morte significa o fim do corpo denso; para os que vivem na esfera espiritual, representa o reinício da experiência.
De qualquer modo, porém, o término cheio de dor ou a recapitulação repleta de dificuldades constituem o salário do erro.
Quanta vez temos voltado aos círculos carnais em obrigações expiatórias, sentindo, de novo, a sufocação dentro dos veículos fisiológicos para tornar à vida verdadeira?
Muitos aprendizes estimam as longas repetições, entretanto, pelo que temos aprendido, somos obrigados a considerar que vale mais um dia bem vivido com o Senhor que cem anos de rebeldia em nossas criações inferiores.
Infelizmente, porém, tantos laços grosseiros inventamos para nossas almas que o nosso viver, na maioria das ocasiões, na condição de encarnados ou desencarnados, ainda é o cativeiro a milenárias paixões.
Concedeu-nos o Senhor a Vida Eterna, mas não temos sabido vivê-la, transformando-a em enfermiça experimentação. Daí procede a nossa paisagem de sombra, em desencarnando na Terra ou regressando aos seus umbrais.
A provação complicada é consequência do erro, a perturbação é o fruto do esquecimento do dever.
Renovemo-nos, pois, no dia de hoje, onde estivermos. Olvidemos as linhas curvas de nossas indecisões e façamos de nosso esforço a linha reta para o bem com a Vontade do Senhor.
Os pontos minúsculos formam as figuras gigantescas.
As coisas mínimas constroem as grandiosas edificações. Retiremo-nos das regiões escuras da morte na prática do mal, para que nos tornemos dignos da vida eterna, que é dom gratuito de Deus.

Livro Vinha de Luz – Emmanuel por Chico Xavier – Lição 122

O estilo é o homem

Aquele que, por tanto tempo, figurou no mundo científico e religioso sob o pseudônimo de Allan Kardec, chamava-se Rivail e morreu aos 65 anos.

Vimo-lo deitado num simples colchão, no meio daquela sala das sessões que há longos anos presidia; vimo-lo com o rosto calmo, como se extinguem aqueles a quem a morte não surpreende, e que, tranquilo quanto ao resultado de uma vida vivida honesta e laboriosamente, deixam como que um reflexo da pureza de sua alma sobre esse corpo que abandonam a matéria.

Resignados pela fé numa vida melhor e pela convicção da imortalidade da alma, numerosos discípulos foram dar um último olhar a esses lábios descorados que, ainda ontem, lhes falava a linguagem da Terra. Mas já tinham a consolação do além-túmulo; o Espírito de Allan Kardec viera dizer como tinha sido o seu desprendimento, quais as suas impressões primeiras, quais de seus predecessores na morte tinham vindo ajudar sua alma a desprender-se da matéria. Se “o estilo é o homem”, os que conheceram Allan Kardec vivo só podiam comover-se com a autenticidade dessa comunicação espírita.

A morte de Allan Kardec é notável por uma coincidência estranha. A Sociedade formada por esse grande vulgarizador do Espiritismo acabava de chegar ao fim. O local abandonado, os móveis desaparecidos, nada mais restava de um passado que devia renascer sobre bases novas. Ao fim da última sessão, o presidente tinha feito suas despedidas; cumprida a sua missão, ele se retirava da luta diária para se consagrar inteiramente ao estudo da Filosofia Espiritualista. Outros, mais jovens - os valentes - deviam continuar a obra, e fortes na sua virilidade, impor a verdade pela convicção.

Que adianta contar detalhes da morte? Que importa a maneira pela qual o instrumento se quebrou e porque consagrar uma linha a esses restos integrados no imenso movimento das moléculas? Allan Kardec morreu na sua hora. Com ele fechou-se o prólogo de uma religião vivaz que, irradiando cada dia, em breve terá iluminado a Humanidade. Ninguém melhor que Allan Kardec poderia levar a bom termo essa obra de propaganda, à qual era preciso sacrificar as longas vigílias que nutrem o espírito, a paciência que ensina continuamente, a abnegação que desafia a tolice do presente para só ver a radiação do futuro.

Por suas obras, Allan Kardec terá fundado o dogma pressentido pelas mais antigas sociedades. Seu nome, estimado como o de um homem de bem, é desde muito tempo vulgarizado pelos que creem e pelos que temem. É difícil realizar o bem sem chocar os interesses estabelecidos.

O Espiritismo destrói muitos abusos; - também reergue muitas consciências doloridas, dando-lhes a convicção da prova e a consolação do futuro.

Hoje os espíritas choram o amigo que os deixa, porque o nosso entendimento, demasiado material, por assim dizer, não se pode dobrar a essa ideia da passagem. Mas, pago o primeiro tributo à inferioridade do nosso organismo, o pensador ergue a cabeça, e para esse mundo invisível, que sente existir além do túmulo, estende a mão ao amigo que se foi, convencido de que seu Espírito nos protege sempre.

O Presidente da Sociedade de Paris morreu, mas o número dos adeptos cresce dia a dia, e os valentes, cujo respeito pelo mestre os deixava em segundo plano, não hesitarão em se afirmar, para o bem da grande causa.

Esta morte, que o vulgo deixará passar indiferente, é um grande fato na história da Humanidade. Este não é apenas o sepulcro de um homem; é a pedra tumular enchendo o vazio imenso que o Materialismo havia cavado sob os nossos pés, e sobre o qual o Espiritismo espalha as flores da esperança.  

 Pagès de Noyez - Le Journal Paris - 3/4/1869 – Fonte: bibliadocaminho.com

31 DE MARÇO DE 2020 – 151 ANOS DE DESENCARNAÇÃO DO CODIFICADOR

quinta-feira, 19 de março de 2020

Bezerra de Menezes traz mensagem de esperança através de Divaldo Franco

Divaldo fala sobre o coronavírus

Os adeuses



A epidemia que vem dizimar o mundo em certos momentos, e que conviestes chamar cólera, fere de novo e por golpes redobrados a Humanidade; seus efeitos são prontos e sua ação rápida. Sem nenhum aviso, o homem passa da vida à morte, e aqueles, mais privilegiados, poupados por sua mão fulminante, ficam estupefatos, trêmulos, ante as espantosas consequências de um mal desconhecido em suas causas, e cujo remédio se ignora completamente.

Nesses tristes momentos, o medo se apodera dos que apenas encaram a ação da morte, sem pensar no além, e que, só por este fato, com mais facilidade oferecem o flanco ao mal. Mas como a hora de cada um de nós está marcada, há que partir, a despeito de tudo, se ela tiver soado. A hora está marcada para bom número dos habitantes do universo terrestre; partem todos os dias; pouco a pouco o flagelo se espalha e vai estender-se sobre toda a superfície do globo.

Este mal é desconhecido e talvez o seja mais ainda hoje, porque, à sua constituição própria, juntam-se diariamente outros elementos que confundem o saber humano e impedem de achar o remédio necessário para deter a sua marcha. Assim, a despeito de sua ciência, os homens devem sofrer as suas consequências, e esse flagelo destruidor é muito simplesmente um dos meios para ativar a renovação humanitária, que se deve realizar.

Mas não vos inquieteis; para vós espíritas, que sabeis que morrer é renascer, se fordes atingidos e partirdes, não ireis à felicidade? Se, ao contrário, fordes poupados, agradecei-o a Deus, que assim vos permitirá aumentar a soma dos vossos sofrimentos e pagar mais pela prova.

De um lado como de outro, quer a morte vos fira, quer vos poupe, só tendes a ganhar; ou, então, não vos digais espíritas.

 Dr. Demeure / Sr. Morin – Revista Espírita – outubro/1867

Amizade e compreensão


“Com leite vos criei, e não com manjar, porque ainda não podíeis, nem ainda agora podeis.” Paulo (I Coríntios, 3:2)

Muitos companheiros de luta exigem cooperadores esclarecidos para as tarefas que lhes dizem respeito, amigos valiosos que lhes entendam os propósitos e valorizem os trabalhos, esquecidos de que as afeições, quanto as plantas, reclamam cultivo adequado.
Compreensão não se improvisa. É obra de tempo, colaboração, harmonia.
O próprio Cristo, primeiramente, semeou o ideal divino no coração dos continuadores, antes de recolher-lhes o entendimento.
Sofreu-lhes as negações, tolerou-lhes as fraquezas e desculpou-lhes as exigências para formar, por fim, o colégio apostólico.
Nesse particular, Paulo de Tarso fornece-nos judiciosa lição, declarando aos Coríntios que os criara “com leite”. Tão pequena afirmativa transborda sabedoria vastíssima. O apóstolo generoso, gigante no conhecimento e na fé viva, edificara os companheiros de sua missão evangélica em Corinto, não com o alimento complexo das teses difíceis, mas com os ensinamentos simples da verdade e as puras demonstrações de amor em Cristo Jesus. Não lhes conquistara a confiança e a estima exibindo cultura ou impondo princípios, mas, sim, orando e servindo, trabalhando e amando.
Existe uma ciência de cultivar a amizade e construir o entendimento.
Como acontece ao trigo, no campo espiritual do amor, não será possível colher sem semear.
Examina, pois, diariamente, a tua lavoura afetiva. Observa se estás exigindo flores prematuras ou frutos antecipados. Não te esqueças da atenção, do adubo, do irrigador. Coloca-te na posição da planta em jardim alheio e, reparando os cuidados que exiges, não desdenhes resgatar as tuas dívidas de amor para com os outros.
Imita o lavrador prudente e devotado, se desejas atingir a colheita de grandes e precisos resultados.
Livro Vinha de Luz – Emmanuel por Chico Xavier – Lição 121

Reação pacífica


Estes são dias de desequilíbrio.
O medo galvaniza os homens.
A onda dos crimes cresce cada hora. No entanto, a agressividade e a violência que dominam as preocupações do mundo hodierno, a par das causas de natureza extrínseca, têm, no próprio homem, o caldo de cultura em que se desenvolvem, assustadoramente.
Enquanto os especialistas dos diversos ramos do conhecimento tentam deter os efeitos da violência, que irrompe, voluptuosa, em toda parte, mergulhando o pensamento nos fatores causais socioeconômicos, sócio-políticos, socioculturais, psicológicos e de outras ordens, o egoísmo é a grande geratriz dos males que afligem a Terra...
Em consequência, o Evangelho de Jesus vivido pelo Espiritismo, em espírito e verdade, é o anticorpo de urgência para a calamidade virulenta que ameaça as estruturas sociais da atualidade.
*
Não somes ao volume dos desequilíbrios vigentes as reações negativas que traduzam desassossegos internos.
Estabelece as diretrizes de paz interior, a esforço de prece e sacrifício, de modo a poderes minimizar problemática afligente.
Evita o comentário pernicioso e não difundas a informação malsã.
Apaga o fogo da ira com a água da resignação.
Asserena as ansiedades pessoais, impedindo-te o desespero.
O servidor do Cristo está, na Terra, para o excelente mister de produzir a harmonia entre todos.
Agredido, não ataca; acossado, não investe contra, porfia; sofrendo, não promove a revolta, vence-a.
Estância de paz, toma-se veículo do otimismo, contribuindo valiosamente para a mudança da paisagem em agonia da atualidade.
*
Harmoniza-te em Jesus e esparze esperança, constituindo-te fortaleza contra o mal, lição viva de confiança, lentamente transformando o meio onde te encontras situado, de modo a vencer pela resistência pacífica a onda de provações necessárias para a Humanidade neste momento de transição histórica.
                                                    *
O egoísmo é o inimigo poderoso contra o qual todos devem voltar-se com disposição de ânimo e decisão.
Insculpindo n’alma as bênçãos da caridade, serão superados todos os fatores perturbantes que afetam o homem, e a violência como a agressividade serão banidas da Terra em definitivo.
Entrega-te, portanto, a Jesus e n’Ele confia, “não fazendo ao teu próximo, o que não desejares que ele te faça.”

Joanna de Ângelis / Divaldo Franco – Livro: Alerta

quarta-feira, 18 de março de 2020

Suspensão das atividades CEJG


NOTA DA FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA




O Espiritismo, ao nos ensejar o exercício da fé raciocinada, ensina-nos a ampliar a compreensão dos fatos históricos e contextos sociais, convidando-nos à prudência, à confiança e à serenidade mediante as experiências educativas do mundo, de modo a aperfeiçoarmos as nossas competências espirituais.

O cenário pandêmico ocasionado pelo Covid-19 convida-nos, igualmente, a adotarmos – individual e institucionalmente – atitudes responsáveis e seguras, zelando pelo cumprimento da Lei de Justiça, Amor e Caridade e pelo atendimento às orientações governamentais específicas das diferentes unidades da Federação.

Medidas preventivas têm sido amplamente divulgadas por diferentes mídias, e a redução ou suspensão de aglomerações públicas e contatos físicos apresentam-se como estratégias necessárias para se evitar a rápida proliferação do vírus e  garantir o bem-estar social.

Necessário, contudo, que o isolamento social não represente isolamento afetivo, e que a suspensão física das atividades não constitua interrupção das ações doutrinárias que fundamentam as práticas espíritas. Nesse sentido, o presente cenário mundial convida os trabalhadores espíritas à busca de estratégias alternativas e criativas de ação, de modo a promoverem o estudo, a prática e a divulgação da Doutrina Espírita utilizando-se de recursos tecnológicos e virtuais, de momentos de vibração, de estudos edificantes, dentre outras inúmeras possibilidades de ação, cientes das potências do pensamento e da vontade para o alcance dos propósitos comuns.

As tecnologias disponíveis muito nos auxiliarão no nobre desafio de manter padrões vibratórios salutares, diluindo fronteiras e permitindo-nos a união de pensamentos, sentimentos e atitudes em benefício da própria Humanidade.

Nesse sentido, convidados ao trabalho de assistência espiritual aos que enfrentam momentos de desconforto, devemos atender aos imperativos de evitar aglomerações, consoante as recomendações governamentais, mas podemos desenvolver trabalhos em pequenos postos de serviço, para manutenção do amparo necessário aos que passam por este momento aflitivo.

Alguns recursos e ações podem auxiliar, tais como:

·     o uso das tecnologias de comunicação virtual para desempenho de atividades de estudo, palestras e reuniões administrativas;
·     a criação de grupos de WhatsApp e, por meio deles, propor estudos dialogados;
·     a utilização das ferramentas disponíveis para o uso gratuito pelas principais companhias de tecnologia da informação, de modo a criar alternativas aos encontros presenciais, mantendo a ordem das atividades. O Microsoft Teams (https://products.office.com/pt-br/microsoft-teams/free); o Google Hangout (https://hangouts.google.com/?hl=pt-BR); Cisco Webex (https://www.webex.com.br/) e outras alternativas podem ser utilizados como mecanismos de virtualização dos encontros, de modo que as atividades de instrução, consolo e iluminação desenvolvidos nas atividades públicas, possam ter prosseguimento em ações virtuais;
·     a divulgação intensa das alternativas de transmissão por Web rádio e Web tv, que são boas opções para o desenvolvimento do bem, nestes dias de dificuldades para o encontro presencial. O canal da FEBtv (www.febtv.com.br) e FEB Rádio (http://twixar.me/ddsT) estão disponíveis com materiais de estudo, de palestras, de encontros, que servem como breves alternativas para a impossibilidade do encontro presencial;
·     a adoção do livro espírita como relevante e especial recurso de esclarecimento, consolo e orientação, fornecendo luzes às eventuais dúvidas e inseguranças.

No âmbito das condutas individuais e familiares, sugere-se:

·     a realização do evangelho no lar nos horários das reuniões no centro espírita;
·     o cultivo da leitura edificante;
·     o acompanhamento de programas e palestras disponíveis pela internet;
·     o estreitamento das relações e do diálogo familiar;
·     o compartilhamento de vídeos, músicas e mensagens edificantes;
·     a realização da prece em favor da Humanidade.

Destaca-se, ainda, no âmbito interno do Campo Experimental da FEB (Brasília-DF), a adoção de algumas medidas específicas:

·     suspensão temporária das palestras públicas, reuniões de estudo, reuniões mediúnicas e estímulo à adoção de contatos virtuais e comunicação pelos recursos tecnológicos disponíveis;
·     gravação e transmissão diária da explanação do evangelho no horário das 17h às 17h30, na sua sede em Brasília-DF, e compartilhamento do link nas redes sociais para os interessados;
·     estímulo a todos os trabalhadores e frequentadores para o cultivo da prece e da leitura edificante, da realização do evangelho no lar, dentre outras atitudes saudáveis, em conformidade com as propostas acima apresentadas;
·     atendimentos apenas emergenciais no Departamento de Assistência Social;
·     sugestão das seguintes medidas ao atendimento espiritual: realizar o culto no lar nos horários das reuniões no Centro Espírita; cultivar a leitura edificante; acompanhar palestras disponíveis nos vários canais da internet; melhorar o diálogo com a família; atender a pessoas em pânico usando materiais disponíveis em canais confiáveis na web; compartilhar palestras, vídeos e áudios de mensagens com amigos; fazer estudos em casa com a participação de familiares; realizar leituras para doentes ou pessoas com dificuldades que morem no mesmo ambiente; estudar individualmente sobre temas que possam melhorar e ampliar a compreensão do momento; orar pelos enfermos em geral; e adotar outras estratégias que possam atender melhor a realidade de cada um;
·     continuação das atividades administrativas regulares, asseguradas as condições de assepsia e segurança dos seus colaboradores e funcionários.

No âmbito do Movimento Espírita, é fundamental que as instituições espíritas atendam às recomendações governamentais de suas localidades, cientes de que o cumprimento da lei é condição necessária para a manutenção do bem-estar coletivo; e que, na medida do possível, criem alternativas de desenvolvimento das atividades da casa espírita sem que seja necessária a aglomeração de pessoas.

Mantenhamo-nos confiantes de que os episódios da vida são instrumentos para nossa edificação, busquemos servir à Humanidade fazendo o nosso melhor, dando “a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” – Jesus. (Marcos, 12:17.)



Brasília, 16 março de 2020

Federação Espírita Brasileira