Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Estejamos certos

“Porei minhas leis em seus corações e as escreverei em seus entendimentos.” Paulo (Hebreus, 10:16)
As instituições humanas vivem cheias de códigos e escrituras.
Os templos permanecem repletos de pregações. Os núcleos de natureza religiosa alinham inúmeros compêndios doutrinários.
O Evangelho, entretanto, não oculta os propósitos do Senhor.
Toda a movimentação de páginas rasgáveis, portadoras de vocabulário restrito, representa fase de preparo espiritual, porque o objetivo de Jesus é inscrever os seus ensinamentos em nossos corações e inteligências.
Poderemos aderir de modo intelectual aos mais variados programas religiosos, navegarmos a pleno mar da filosofia e da cultura meramente verbalistas, com certo proveito à nossa posição individual, diante do próximo; mas, diante do Senhor, o problema fundamental de nosso espírito é a transformação para o bem, com a elevação de todos os nossos sentimentos e pensamentos.
O Mestre escreverá nas páginas vivas de nossa alma os seus estatutos divinos.
Tenhamos disso a certeza. E não estejamos menos convencidos de que, às vezes, por acréscimo de misericórdia, nos conferirá os precisos recursos para que lavemos nosso livro íntimo com a água das lágrimas, eliminando os resíduos desse trabalho com o fogo purificador do sofrimento.

Livro Vinha de Luz – Emmanuel por Chico Xavier – Lição 81

Nenhum comentário:

Postar um comentário