Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

quinta-feira, 19 de março de 2020

Reação pacífica


Estes são dias de desequilíbrio.
O medo galvaniza os homens.
A onda dos crimes cresce cada hora. No entanto, a agressividade e a violência que dominam as preocupações do mundo hodierno, a par das causas de natureza extrínseca, têm, no próprio homem, o caldo de cultura em que se desenvolvem, assustadoramente.
Enquanto os especialistas dos diversos ramos do conhecimento tentam deter os efeitos da violência, que irrompe, voluptuosa, em toda parte, mergulhando o pensamento nos fatores causais socioeconômicos, sócio-políticos, socioculturais, psicológicos e de outras ordens, o egoísmo é a grande geratriz dos males que afligem a Terra...
Em consequência, o Evangelho de Jesus vivido pelo Espiritismo, em espírito e verdade, é o anticorpo de urgência para a calamidade virulenta que ameaça as estruturas sociais da atualidade.
*
Não somes ao volume dos desequilíbrios vigentes as reações negativas que traduzam desassossegos internos.
Estabelece as diretrizes de paz interior, a esforço de prece e sacrifício, de modo a poderes minimizar problemática afligente.
Evita o comentário pernicioso e não difundas a informação malsã.
Apaga o fogo da ira com a água da resignação.
Asserena as ansiedades pessoais, impedindo-te o desespero.
O servidor do Cristo está, na Terra, para o excelente mister de produzir a harmonia entre todos.
Agredido, não ataca; acossado, não investe contra, porfia; sofrendo, não promove a revolta, vence-a.
Estância de paz, toma-se veículo do otimismo, contribuindo valiosamente para a mudança da paisagem em agonia da atualidade.
*
Harmoniza-te em Jesus e esparze esperança, constituindo-te fortaleza contra o mal, lição viva de confiança, lentamente transformando o meio onde te encontras situado, de modo a vencer pela resistência pacífica a onda de provações necessárias para a Humanidade neste momento de transição histórica.
                                                    *
O egoísmo é o inimigo poderoso contra o qual todos devem voltar-se com disposição de ânimo e decisão.
Insculpindo n’alma as bênçãos da caridade, serão superados todos os fatores perturbantes que afetam o homem, e a violência como a agressividade serão banidas da Terra em definitivo.
Entrega-te, portanto, a Jesus e n’Ele confia, “não fazendo ao teu próximo, o que não desejares que ele te faça.”

Joanna de Ângelis / Divaldo Franco – Livro: Alerta

Nenhum comentário:

Postar um comentário