Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Divulgação Espírita

Se existe uma expressão fecunda de gratidão à luz do Espiritismo que nos libertou da ignorância e dos vícios morais, ela pode ser reconhecida no trabalho consciente e ardoroso de sua divulgação, a bem de outros corações...
Pensar o conteúdo doutrinário para sentir Jesus em retorno ao nosso convívio representa a estrada nova e bem pavimentada, capaz, por sua utilidade e valor, de beneficiar toda a Humanidade.
Espiritismo é o clarim matinal que anuncia a Era da Regeneração tão aguardada, e, sob seus auspícios reveladores, a sabedoria e a doçura da fraternidade – fraternidade que é o amor em expansão –, como radioso sol a todos alcança, para a efetiva libertação espiritual de nosso Globo.
Urge, por consciência e dever moral, formarmos fileiras de entendimento e aplicação cadenciada do que nos oferece a Doutrina do Consolador.
Firmeza de ânimo que caracterize um genuíno idealista;
Sentimento solidário, que enalteça os planos do Bem, então concebidos pelo adepto;
Lealdade aos fundamentos da Verdade codificada, por princípio de segurança e valor.
Irmãos: o Espiritismo é o Consolador, abrigando-nos em caridade e paz; todavia, o excelso trabalho que ao Paracleto divino compete executar, necessita de nossas mãos, para que, íntegro e benfeitor, alcance as comunidades – das choupanas singelas e geralmente violentas aos palácios de onde promanam as decisões de ordem e governança do mundo!
Mãos à obra, com Jesus e Kardec!

Caibar Schutel

 Mensagem psicografada pelo médium Wagner G. Paixão durante o encerramento do XV Congresso Espírita de São Paulo, promovido pela USE, em Franca, no dia 01/05/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário