Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações. (Allan Kardec - E.S.E, XVII, 4)

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

No cultivo dos tesouros eternos


Cultivemos irmãos amados os dons do espírito para que eles possam adornar-nos nas sendas excelsas do infinito, assim, pois, procuremos o diamante abençoado da humildade.
Conquistemos através do esforço e da perseverança a joia divina do amor.
Sejamos firmes na procura do entendimento e da compreensão que representam pontos luminosos a adornar-nos a alma.
Olvidemos os bens materiais transitórios e busquemos integrar-nos ao evangelho divino, ostentando junto ao coração a joia mais cara que é a caridade.
O amor ao próximo sem serviço nos roteiros do Cristo, representa apenas obreiros inúteis incapazes de assimilar as divinas leis do amor, apregoado pelo Mestre de Nazaré.
Aqueles que ouvem a palavra do Mestre e a colocam em prática são os verdadeiros discípulos que têm por lema “amar e servir ao semelhante”.
Doemos de nós o máximo de luzes, bênçãos, compreensão, porque somos observados pelo próximo em nossos atos e atitudes.
Nossas ações falam de nós, amor e perdão são requisitos indispensáveis àqueles que desejam realmente se tornar discípulos do Mestre.
“Meus discípulos se conhecerão por muito se amarem”
Foram as sábias palavras de Jesus, que não deixam dúvidas quanto à atitude que devem manter aqueles que vivem as lides evangélicas.
Sejamos amor, acendamos a luz da harmonia em torno de nós, para que se dissipem para sempre as sombras do mal.

Joseph Gleber

Nenhum comentário:

Postar um comentário